Voltar
Análise de Junho de 97

Serviços descolam

A procura continua positiva apesar da queda já esperada em Junho. Agosto será para recuperar. Projecções dos inquiridos colocam o sector dos serviços como o mais dinâmico no mercado de Tecnologias e Sistemas de Informação.

Gráfico índice agregado de procura - TI

Fonte: Gávea/ComputerWorld

Tudo indica que a recuperação da procura no mercado nacional de Tecnologias e Sistemas de Informação será efectuada em Agosto. De acordo com as projecções das empresas inquiridas o índice agregado situar-se-á entre os 8 e 12 pontos com o valor médio de 10.35. Uma tendência de crescimento contrária ao que tem vindo a suceder desde Maio com os índices agregados a caírem. Em Junho o valor caiu para os 8.45 contra os 11.05 obtidos em Maio. Apesar da queda os valores continuam na zona positiva.

De acordo com as projecções manifestadas pelos gestores, a procura em Setembro atingirá o ponto mais alto desde o início do Barómetro com o valor médio do índice agregado a atingir a casa dos 19,1 pontos Mais do que o dobro do valor obtido em Junho. De realçar que os desvios para Setembro são menores do que os observados para Agosto. Uma situação que indica claramente que a opinião e a sensibilidade dos gestores é mais homogénea e consistente.

Índices

SRE-Saldo das respostas extremas - ponderados

Maio

Junho

Projecção para Agosto

Projecção para Setembro

Desvio Maio

Desvio Junho

Hardware

-1

8

9

14

2.45

1.89

Software

25

7

11

21

2.04

1.89

Serviços

16

11

12

26

1.23

1.46

Agregado

11.05

8.45

10.35

19.1

2.02

1.78

Fonte: Gávea/ComputerWorld

Serviços: a coqueluche

Apesar de em Junho a procura de serviços cair para a zona dos 11 pontos, contra os 16 obtidos em Maio, as projecções deixam antever um aumento considerável. Agosto será pautado por uma recuperação ligeira e, Setembro, na opinião das empresas, a ultrapassar a barreira dos 20. Um cenário que pode indicar que a maioria dos fornecedores possuem contratos de prestação de serviços em carteira contudo a decisão dos clientes só será tomada após as férias. Um dos casos é o maior contrato nacional de outsourcing protagonizado pela Petrogal e cuja decisão só será conhecida em Setembro.

Sem dúvida que a tendência será de uma procura maior nos serviços do que nos restantes sectores. Necessidades de contenção de custos por parte dos clientes e a consequente opção pelo outsourcing poderá ser a razão principal.

Gráfico índice de procura - TI - serviços

Fonte: Gávea/ComputerWorld

Tanto a procura de hardware como de software terão padrões de comportamento análogos até Setembro contudo, os índices do software serão superiores. A queda abrupta do índice de software em Junho (de 25 para 7 pontos) é explicada, segundo as principais empresas que actuam nesta área, por factores de sazonalidade e não estruturais. Em Setembro as projecções apontam para que o índice ronde os 21 pontos.

O software aplicacional continuará a conduzir a procura e não é de afastar a possível correlação estreita entre os serviços e software. Uma aproximação que ainda não é possível efectuar devido ao número reduzido de observações.

Gráfico índice de procura - TI - software

Fonte: Gávea/ComputerWorld

O sector de hardware continua a apresentar os valores mais tímidos tendo em Junho aumentado de -1 para 8 e prevê-se que em Setembro a procura ronde os 14 pontos.

Até ao final do ano assistiremos a um dinamismo do mercado e a fazer fé nos indicadores de consumo do sector empresarial (Instituto Nacional de Estatística) e economia encontra-se de boa saúde. Uma conjuntura que beneficiará os fornecedores de Tecnologias e Sistemas de Informação.

Gráfico índice de procura - TI - hardware

Fonte: Gávea/ComputerWorld


 Painel de Empresas:

BULL - CISCO - DATA GENERAL - DIGITAL - EPSON - HEWLETT PACKARD - IBM - ICL - INFORMIX - INTERGRAPH - INTERLOG - LUSOCRESA - METHODUS - NOVABASE - ORACLE - PRIMAVERA SOFTWARE - SAP - SILICON GRAPHICS - SINFIC - SOLSUNI - SOFTWARE AG - SOLBI - SUN - S3 - SYBASE - TECNOLOGIA INFORMÁTICA - UNISYS - LOTUS


Metodologia

O Barómetro destina-se a medir mensalmente o estado da procura global do mercado. A medição será sobre dados qualitativos e incidirá sobre um painel de empresas.

A construção do Barómetro tem a seguinte metodologia:

  • Inquérito mensal por via postal/fax
  • Perguntas com respostas de opção e fechadas
  • Será utilizado o SRE (saldo de respostas extremas) para cada um dos índices parciais. A fórmula é a seguinte:

SRE = nº respostas «aumentou» - nº respostas «diminuiu»

  • A cada uma das respostas de cada empresa será submetido um ponderador para cada um dos seguintes segmentos: hardware, software e serviços. Os ponderados variam entre 1 e 5 consoante a dimensão da empresa e o seu modelo de negócio.
  • O índice agregado de procura é obtido através da média ponderada de cada um dos indicadores parciais. Possui os seguintes ponderadores:

Hardware: 0.45

Software: 0.30

Serviços: 0.25 

Voltar