Voltar

Análise de Março de 98

Timidez domina o primeiro trimestre

Índice agregado de procura

Maio97

Junho97

Julho97

Agosto97

Set97

Out97

Nov97

Dez97

Jan98

Fev98

Mar98

 
11.05 

ê
8.45

é
8.8

ê
-11.25

é
24.1

ê
17.95

é
19.4

ê
16.5

ê
-5.25

é
9.25

é
15.5

 

Gráfico índice de procura agregado

O Barómetro Nacional de Tecnologias e Sistemas de Informação registou em Março um índice agregado na procura de 15,5 pontos, uma subida face aos 9.25 observados em Fevereiro. Uma subida constante sentida desde o início do ano. Uma tendência já esperada de acordo com as previsões manifestadas pelos inquiridos nos barómetros anteriores. O valor do índice de Março é o maior verificado este ano e espelha a recuperação do mercado nestes últimos meses.

 

Gráfico média dos índices de procura trimestral

Mais uma vez confirma-se que o último trimestre do ano é o que apresenta uma maior procura, sensivelmente o dobro dos restantes trimestres. De realçar que a média mensal do índice agregado no último trimestre de 1997 foi de 18 pontos contra os 7,2 do terceiro e 9,8 pontos do segundo trimestre de 1997.

O primeiro trimestre fechou com apenas 6,5 pontos.

Gráfico índice de procura de serviços

Os serviços continuam a ter um comportamento de crescimento. No trimestre que findou foi o sector com mais expressão a nível global. O índice médio foi de 8,3, superior aos restantes segmentos.

Em Março o índice cresceu dois pontos face aos 13 obtidos em Fevereiro. A consolidação deste sector mostra que o mercado nacional de tecnologias e sistemas de informação atingiu a sua maturidade. Depois dos fortes investimentos nos últimos anos na infraestrutura aplicacional e no software, as organizações preocupam-se agora na optimização dos seus sistemas e na redução dos custos de exploração e de operacionalidade. Não é de estranhar que o outsourcing tenha sido a abordagem escolhida para fazer face à manutenção e suporte dos sistemas. Contudo existem mais dois factores essenciais e interdependentes para o crescimento dos serviços. Um é a adaptação de novas aplicações ao negócio, sobretudo SAP e Baan, que provocou uma explosão na consultora. Outro é de carácter contingencial provocado sobretudo pelo ano 2000 e pela adopção do Euro que levou a uma reformulação da estrutura tecnológica e aplicacional. Sem dúvida que a convergência de todos estes factores contribui e contribuirá para uma expressão sólida dos serviços no panorama dos investimentos.

Gráfico índice de procura de software

Outro componente do investimento é o software. A procura, segundo o Barómetro ComputerWorld/Gávea, tem registado um crescimento desde o Início do ano e as projecções indicam que em Junho o índice obterá valores na casa dos 20 pontos, análogos aos registados no último trimestre do ano passado, no qual o índice médio mensal rondou os 21,3 pontos.

Crescimento das instalações de NT e na aquisição de software aplicacional têm sido o motor deste comportamento.

Gráfico índice de procura de hardware

No que diz respeito ao investimento em hardware o comportamento tem sido semelhante aos restantes sectores mas com menor expressão e em contra-ciclo. O índice médio de hardware neste período foi de 6,7, superior ao do software. A renovação do parque tecnológico, upgrades aos sistemas, networking, maior investimento com unidades de armazenamento, têm sido as principais razões para manter este sector com metade de absorção dos investimentos em sistemas e tecnologias de informação.


Painel de Empresas:

BULL - CISCO - DATA GENERAL - DIGITAL - EDS - EPSON - HEWLETT PACKARD - IBM - ICL - INFORMIX - INTERGRAPH - INTERLOG - LUSOCRESA - METHODUS - NOVABASE - OKI - OLSY - ORACLE - PRIMAVERA SOFTWARE - PROLÓGICA - RANK XEROX - SAP - SILICON GRAPHICS - SINFIC - SOLSUNI - SOFTWARE AG - SOLBI - SMD - SUN - S3 - TECNOLOGIA INFORMÁTICA - UNISYS - LOTUS

 


Metodologia

O Barómetro destina-se a medir mensalmente o estado da procura global do mercado. A medição será sobre dados qualitativos e incidirá sobre um painel de empresas.

A construção do Barómetro tem a seguinte metodologia:

  • Inquérito mensal por via postal/fax
  • Perguntas com respostas de opção e fechadas
  • Será utilizado o SRE (saldo de respostas extremas) para cada um dos índices parciais. A fórmula é a seguinte:

SRE = nº respostas «aumentou» - nº respostas «diminuiu»

  • A cada uma das respostas de cada empresa será submetido um ponderador para cada um dos seguintes segmentos: hardware, software e serviços. Os ponderados variam entre 1 e 5 consoante a dimensão da empresa e o seu modelo de negócio. 
  • O índice agregado de procura é obtido através da média ponderada de cada um dos indicadores parciais. Possui os seguintes ponderadores:

Hardware: 0.45

Software: 0.30

Serviços: 0.25

Voltar