Voltar

Análise de Novembro/Dezembro de 97

Software salva final de 1997

Dezembro regista queda do índice de procura agregada. Software aplicacional continua a ser o sector mais dinâmico. É o único índice que sobe. Expectativas para o primeiro trimestre de 1998 pautadas pela cautela dos gestores. Serviços estabilizam e hardware mais sensível à sazonalidade. Início de 98 com serviços a subir.

Maio

Junho

Julho

Agosto

Setembro

Outubro

Novembro

Dezembro

 

11.05

 

ê

8.45

 

é

8.8

 

ê

-11.25

é

24.1

 

ê

17.9

 

é

19.4

ê

16.5

 

Gráfico índice de procura agregado

Depois de um Novembro dinâmico o último mês de 1997 registou uma ligeira quebra da procura agregada. De acordo com o Barómetro Gávea/ComputerWorld o índice apresentou 16,5 pontos, muito aquém dos 24,1 projectados pelo painel de inquiridos. O mercado não se comportou como a maioria dos gestores estava à espera. Em Novembro o índice coincidiu, dentro dos limites de confiança, com as expectativas manifestadas.

A quebra em Dezembro deveu-se à descida inesperada dos índices de hardware e serviços com uma redução de 8 e 3 pontos, respectivamente. De notar que pela primeira vez o desvio do índice de hardware apresentou um valor elevado, o que indica uma maior dispersão das opiniões dos inquiridos face ao comportamento da procura.

Índices SRE

Maio

Junho

Julho

Agosto

Setembro

Outubro

Novembro

Dezembro

Projecção para Jan

Projecção para Fev

Projecção para Mar

Hardware

-1

8

6

-12

20

17

21

13

14

8

0

Software

25

7

12

-12

32

21

19

24

14

15

13

Serviços

16

11

10

-9

22

16

17

14

20

23

22

Agregado

11,05

8,45

8,8

-11,25

24,1

17,95

19,4

16,5

15,5

13,9

9,4

 

Apesar da descida dos índices, o último trimestre apresenta pequenas variações mensais o que indica uma estabilidade da procura ao longo dos três últimos meses.

O primeiro trimestre de 1998 será pautado por uma descida ligeira da procura mas com valores positivos ou seja o mercado irá continuar a crescer só que a taxas mais reduzidas.

As projecções dos inquridos mostra um claro decréscimo da procura de hardware enquanto o software e serviços não serão afectados de forma significativa. Isto caso as estimativas dos gestores venham a confirmar-se. Num mercado de lata volatilidade de preços e oferta previsões a três meses são arriscadas mesmo nos fornecedores com maior penetração e experiência do mercado nacional.

Gráfico índice de procura de hardware

No hardware existe um comportamento análogo entre as projecções manifestadas pelos inquiridos e os estimados pela Gávea com base nos inquéritos mensais apesar do diferencial entre os dois indicadores. O painel de gestores comporta-se de uma forma mais optimista do que o mercado. Uma explicação é a maturidade deste segmento e as necessidades das organizações em infraestruturas de hardwrare serem mais planeadas do que nos anos anteriores.

 

Gráfico índice de procura de software

 As aplicações e os SGBDR são sem dúvida o motor do crescimento da procura no software. Aqui, como no hardware, verifica-se que os gestores são bastante mais optimistas face à capacidade de absorção do mercado. Fornecedores como a SAP, Baan, Oracle, IBM e Informix indicam claramente um decréscimo no primeiro trimestre de 1998 mas com índices de evolução positivas. Os maiores investimentos concentraram-se em Setembro e em Dezembro.

Gráfico índice de procura de serviços

A grande expectativa será verificar se nos próximos meses as projecções dos inquiridos serão correctas no que diz respeito aos serviços. O optimismo é patente com os índices a ultrapassarem a fasquia dos vinte pontos. Uma situação que poderá verificar-se já que a procura de serviços sofre um estímulo após investimentos na área do software. Questões de planeamento, implementação e desenvolvimento são críticas nos projectos de software e o recurso à área de serviços será inevitável.


Painel de Empresas:

BULL - CPCSI - CISCO - DATA GENERAL - DIGITAL - EPSON - HEWLETT PACKARD - IBM - ICL - INFORMIX - INTERGRAPH - INTERLOG - LOTUS - LUSOCRESA - METHODUS - NOVABASE - OLSY - ORACLE - PRIMAVERA SOFTWARE - PROLÓGICA - RANK XEROX - SAARI - SAP - SILICON GRAPHICS - SINFIC - SOLSUNI - SOFTWARE AG - SOLBI - SMD - SUN - S3 - TECNOLOGIA INFORMÁTICA - UNISYS


Metodologia

O Barómetro destina-se a medir mensalmente o estado da procura global do mercado. A medição será sobre dados qualitativos e incidirá sobre um painel de empresas.

A construção do Barómetro tem a seguinte metodologia:

  • Inquérito mensal por via postal/fax
  • Perguntas com respostas de opção e fechadas
  • Será utilizado o SRE (saldo de respostas extremas) para cada um dos índices parciais. A fórmula é a seguinte:

SRE = nº respostas «aumentou» - nº respostas «diminuiu» 

  • A cada uma das respostas de cada empresa será submetido um ponderador para cada um dos seguintes segmentos: hardware, software e serviços. Os ponderados variam entre 1 e 5 consoante a dimensão da empresa e o seu modelo de negócio. 
  • O índice agregado de procura é obtido através da média ponderada de cada um dos indicadores parciais. Possui os seguintes ponderadores:

Hardware: 0.45

Software: 0.30

Serviços: 0.25

Voltar